São os Rosacruzes Realmente Cristãos?

Coluna com traduções dos textos do blog do Sam Robinson. Esta é uma tradução do artigo “Are The Rosicrucians Really Christians?” realizada por Jeff Alves.

Vamos esclarecer o assunto de uma vez por todas: São os Rosacruzes Cristãos ou Não?

Depois de anunciar a minha intenção de analisar todas as Ordens Rosacruzes no meu último post no blog, alguns objetivos também foram claramente definidos, a fim de concluir o processo. O primeiro desses objetivos é determinar a verdadeira natureza da Ordem Rosacruz. Afinal como é que alguém pode esperar avaliar claramente as diversas linhagens sem ter algum tipo de fator de medição através do qual poderá julgá-los?

Apenas para recapitular, vou analisar cada ordem, premiá-las com uma classificação por estrelas e um sistema de pontos, baseados em seus méritos, ensinamentos e espírito de comunidade. Elas estão indo para serem colocadas sob o microscópio.

JUDGEMENT-DAY (1)

Temos que retornar às fontes originais que inspiram o movimento, particularmente os manifestos Rosacruzes do início de 1600 em diante. Diversos símbolos e ordens podem provar sua validade indo para 1700, numa época em que a alquimia ainda era praticada e os ideais Rosacruzes originais ainda estavam frescos em suas mentes europeias. Hoje o que vamos focar é um argumento frequentemente aquecida, a respeito do verdadeiro núcleo dos ensinamentos Rosacruzes; são os Rosacruzes realmente cristãos?

Este assunto levanta algumas questões. São rosacruzes realmente cristãos em um nível hardcore, e, se assim é, isso significa que você tem que ser um cristão a fim de ser um Rosacruz hoje? Várias Ordens Rosacruzes hoje não têm nada a ver com o Cristianismo e muitas vezes fazem pouca ou nenhuma menção aopróprio Jesus Cristo. Em alguns círculos o grande J.C é um nome tabu que evoca imagens, como a tortura, a caça aos Templários e o julgamento de bruxas.

tumblr_nb4hd6NITE1tjouuno1_500Para alguns o que a igreja tem feito tornou-se tão negativamente entranhado que é impossível para eles aceitarem os símbolos cristãos. Como resultado destas questões em curso hoje você vê mais interesse em organismos como a RR et AC, que combina Osíris com Cristo e você pode entender quantos candidatos encontram este caminho 'Solar' de se aproximar a Cristo como sendo mais "palatável." Mas isso não é sua mãe tentando fazer você comer seus legumes, crianças.

Agora, eu tenho visto Adeptos em várias ordens tentarem direcionar esta questão e normalmente eles respondem "SIM, as correntes Rosacruzes são CRISTÃS". Mas, espere um minuto. É isto uma soma inteligente?

Eu acho que não. Vou esclarecer esta questão de uma vez por todas. Minha qualificação para realizar esta tarefa é que eu tenho sido cuidadosamente ensinado na Alemanha ao longo de um período de sete anos pelo último Pansofista sobrevivente. Ele falou abertamente sobre elementos esquecidos da tradição original e hoje eu estou indo destacar um deles para você também, vendo que o debate Cristo-ou-não precisa silenciar de uma vez por todas.

A fim de quebrar este argumento você vai ter duas fases:

*******

Fase 1: Abordagens que a MAIORIA das pessoas conhece sobre os primeiros Rosacruzes.

Fase 2: Algumas abordagens que você NÃO CONHECE.

*******

 Avante!

Fase 1: O que a maioria das pessoas conhece sobre os primeiros Rosacruzes.

Os três principais manifestos da Fraternidade Rosacruz:

  • O Fama Fraternitatis - 1614
  • A Confissão dos Rosacruzes - 1615
  • As Bodas Alquímicas de Christian Rosenkreuz - 1616

Há um quarto manifesto que vale a pena examinar o qual eu discuti aqui. Agora, para ser claro, esses manifestos Rosacruzes originais mencionam a importância de Cristo, e eles são bastante explícitos nisto:

O Fama diz que sobre o altar circular de Christian Rosenkreuz estava escrito:

"Jesus mihi omnia". Que significa "Jesus é tudo para mim."

A Confissão também afirma Cristo dizendo:

"Nós sinceramente confessamos Cristo".

As Bodas Alquímicas, na outra mão:

Não faz qualquer menção a Cristo, não menciona a palavra Jesus. Nothing. Nada. Nil.

No entanto, é sobre o mesmo personagem, Christian Rosenkreuz, cujo nome diz tudo.

Isso resume muito bem a questão para a maioria das pessoas. Muitos Adeptos estão felizes em se contentar com o óbvio. No entanto, o enigma do quebra-cabeça de Jesus em nossa tradição não pára por aí, porque, como você verá na segunda fase; há algo muito NÃO-cristão sobre certos símbolos e deuses que aparecem na tradição dos Manifestos Rosacruzes. Sim, existem realmente deuses pagãos e sábios pagãos ligados à primeira tradição!

NotWhatISaidEntretanto, você sabe que tipo de Cristianismo os manifestos implicam e que tipo de figura de Jesus ele se importa? Uma pessoa real ou uma Consciência Crística interna? Devemos concluir que os mistérios Rosacruzes são simplesmente uma mistura de misticismo alquímico ligada ao Cristianismo Protestante que abundava na Alemanha? Isto também invalida qualquer Ordem que substitui Cristo por mais símbolos solares Egípcios?

Parece que a figura de Jesus é absolutamente necessária e por isto eu tive que colocá-los nos termos de avaliação das Ordens Rosacruzes. Um símbolo de Jesus deveria pelo menos estar presente e alguma sabedoria deve ser adquirida a partir de Cristo de uma forma ou de outra. Este é o porquê, em minhas avaliações das Ordens Rosacruzes, se qualquer Ordem falhar em mostrar que ela tem suficientemente representado em si os mistérios do Cristo, ela irá perder pontos.

Está certo. Irei avaliar como "índica de aderência tradicional" baixo por não haver representação do símbolo do Cristo.

Agora, a parte que 99% das pessoas que se autodenominam Rosacruzes não sabem.

Fase 2: DEUSES PAGÃOS: O que você não sabe sobre os Rosacruzes.

Após um exame mais detalhado dos manifestos há algo acontecendo que a maioria das pessoas tem deixado escapar totalmente. Depois de ler isto eu tenho certeza que você não vai mais se referir aos Rosacruzes como simplesmente Cristãos.

Você vê, ao escolher representar uma aparente tradição Cristã, que os autores dos manifestos optaram por também incorporar temas e símbolos que são muito não-cristãos. Na verdade, vistos através da lente do Cristianismo estrito,  estes temas são definitivamente blasfemos e pagãos. O que realmente acontece é que os manifestos Rosacruzes são Cristãos apenas em um nível superficial. Existem camadas mais profundas para visualizar.

Vamos examinar o Fama e o Casamento Alquímico mais uma vez.

O Fama Fraternitatis é na verdade uma resposta escrita a um documento anterior que circulou na Itália. Como aponta Arthur Waite, em 1614, ao mesmo tempo que os Rosacruzes anunciaram sua existência na Alemanha, um panfleto foi anonimamente publicado neste mesmo país, intitulado: "Die Reforma der Ganzen Weiten Welt", que significa: "A Reforma do Mundo como um Todo".

Ele contém uma proposta para uma fundação de uma irmandade secreta, que tem como objetivo principal a saúde espiritual da humanidade. É, de fato, uma tradução alemã da obra italiana de Traiano Boccalini contrando a mesma história. O título original italiano não é outro senão "A Reforma Universal do Mundo como um Todo pela Ordem do Deus Apolo aos Sete Sábios da Grécia".

Você pegou essa? Pelo comando de Apolo, não Cristo, não Deus, mas uma divindade solar de cabelos dourados.

Arthur Waite escreve que isto foi "reimpresso com os manifestos da sociedade" e que "é citado por vários autores como a primeira publicação da Fraternidade". É preciso dizer mais?

Dentro do panfleto aprendemos que o deus Apolo ficou insatisfeito com a humanidade, ele ofendeu-se com a nossa condição social e filosófica, tanto que aos seus olhos nós caímos em um estado de vulgaridade cultural. Sua solução é enviar os Sete Sábios da Grécia, que em sua sabedoria deveriam formar uma sociedade secreta que iria nos resgatar através do esclarecimento e da reforma da cultura e da humanidade.

Respondendo o panfleto, o Fama Rosacruz, em seguida, aparrece em cena, contando a história da formação de uma irmandade secreta conduzida por uma pessoa conhecida como Christian Rosenkreuz. Seu objetivo? A reforma do mundo, é claro!

No entanto, não é apenas uma resposta escrita, é também um espelho simbólico, como o Fama fala de irmãos místicos ao redor de Christian Rosenkreuz que são sete no total. Então por quê sete sábios e sete místicos?

reformafama

De acordo com a tradição dos Sete Sábios da Grécia, guardavam uma taça que era sagrada para o seu deus Apolo, um cálice de ouro da imortalidade que parece ser representado no estado imortal do corpo incorruptível de C.R.C. que se encontra no interior do túmulo de sete lados. Manifestadamente, os sete irmãos Rosacruzes que começaram a a Ordem assumiram as posições dos Sábios da Grécia como manifestações vivas, com o próprio CRC no lugar de Apolo; deus das musas e das antigas Artes Liberais.

Agora, como Arthur Waite pontua, a maioria dos examinadores do movimento Rosacruz viu o Fama não como o primeiro manifesto como os leitores de hoje fazem, mas em vez disso colocou-o como o segundo, sendo o primeiro o documento detalhando as ordens de Apolo e seu desejo nbre para a nossa reforma cultural.

Isso não soa muito Cristão, não é?

As Bodas Alquímicas de Christian Rosenkreuz contém um adicional enigma pagão.

Nele nosso pai fundador C.R.C. testemunha uma visão da deusa Vênus:

este-venus"Eu olhei para trás, e eis que era uma senhora justa e gloriosa, cujas vestes eram da cor do céu, e curiosamente (como o Céu), enfeitada com estrelas douradas; em sua mão direita ela tinha um trompete de ouro batido, no qual estava um nome gravado que eu pude muito bem ler, mas ainda estou proibido de revelar. Na mão esquerda, ela tinha um grande maço de cartas de todas as línguas".

Vamos encarar. A "dama com chifre" não é Cristã. Mas como é que eu sei que ela é Vênus?

Bem, existem várias razões. A primeira é que no final do Bodas Alquímicas lemos:

"Aqui jaz Vênus, cuja beleza tem desfeito a fortuna, a honra, a bênção e a prosperidade de muitos grandes homens".

Mas como podemos saber com certeza que a senhora com o chifre é Vênus?

Bem, como despeja o Bodas Alquímicas, novamente tomando emprestado símbolos de um trabalho anterior. Desta vez, os escritores Rosacruzes estavam tomando emprestado uma obra conhecida como "Pequeno Livro da Vênus Negra".

Esta imagem é a imagem de capa original deste velho tratado mágico. O livro é muito interessante porque claramente Vênus aparece segurando o chifre e, como o Bodas Alquímicas diz "na mão esquerda tinha um grande maço de cartas de todas as línguas". O que é mais interessante que é isto livro datado de 1580 é atribuído a John Dee; diz-se ser uma figura inspiradora chave por trás do movimento Rosacruz.

Tendo visto isto, então o que exatamente estamos tratando aqui se não estamos lidando com o Cristianismo?

*******

Claramente Apolo e Vênus não são Cristãos... Mas não é como se eu estivesse estragando suas crenças de infância.

lwa7fx

Aqueles que estão dizendo que os "Rosacruzes são estritamente Cristãos" realmente apenas se referem aos aspectos superficiais dos manifestos como evidência. No entanto, há claramente mais material base no trabalho escondido por trás destes tratados e seus símbolos arrastam-se em tais documentos. Em suma, apenas apontar para os manifestos sem olhar estes outros símbolos/influências é trocar a floresta pelas árvores.

Minha conclusão essencial é que os Rosacruzes não são exatamente Cristãos. Eles são Hermetistas Cristãos em sua doutrina e espírito. Hermetismo Cristão é um termo mais preciso.

Visto que o termo Hermético implica a sabedoria de Hermes no trabalho, que depende tanto da sabedoria dos sábios pagãos quanto da dos profetas Cristãos. Da mesma forma, a Gnose Hermética lida com a Gnose, e ainda assim devemos ter em mente que os Gnósticos eram inimigos da Natureza, uma vez que a consideravam uma armadilha e prisão para a alma e da qual eles procuravam escapar. Os Hermetistas, por outros lado, viam a Natureza como reveladora da Sabedoria de Deus, e os Rosacruzes adotam claramente esta visão da Natureza. Na verdade, se você ler os manifestos cuidadosamente, Jesus e a Natureza são considerados caminhos para a divindade e a iluminação. Então, na contramão da maioria, acredito que os Rosacruzes estavam mais próximos dos Hermetistas que do Gnósticos.

Isto também sugere que o Gnosticismo é um substituto pobre para fornecer ensinamentos para os estudantes Rosacruzes.

De muiotas maneiras, o que eu demonstrei aqui valida as Ordens Rosacruzes lá fora que usam símbolos egípcios e gregos em seus rituais. Certamente, na Golden Dawn, RR et AC, que é sua Ordem Rosacruz interna, C.R.C/Cristo/Osíris são considerados três véus de um deus solar universal. Christian Rosenkreuz é uma figura humana, que é iniciada através do espírito de Cristo, entregue através do veículo dos mistérios Egípcios de Ísis e Osíris. Isto soa mais de acordo com o espírito dos manifestos. Várias outras Ordens Rosacruzes com influências egípcias existem, como a FAR+C da França e o Cromlech Temple, para não mencionar meus amigos pessoais que pertencem à Ordo Rosae Aurae na Alemanha sob Martin Erler, que é neoplatônica e egípcia. Assim encontramos essas Ordens muito mais versáteis que estão claramente no espírito da fraternidade R.C. original.

É por isso que em minhas avaliações posteriores das Ordens Rosacruzes eu devo colocar a tônica da necessidade de se ter um símbolo de Cristo como nos manifestos, mas mantendo a flexibilidade do sincretismo universal e incluindo o pensamento Hermetista dos Rosacruzes originais. Diferentes Ordens serão medidas contra este índice, mostrando o quão Hermético-Cristãs elas são, em graus variados.

Este aspecto das avaliações vão contar 20 dos 100 pontos e este resultado vai ser chamado "Aderência aos Manifestos Originais", que cobre diversos aspectos da aderência daquela Ordem na representação dos manifestos originais e seus muitos símbolos, diagramos e ensinamentos nele previstos. Outros aspectos dos manifestos serão considerados no âmbito desta pontuação que irei abordar em meu próximo post.

south-park-beauty-pageant

Gostaria de salientar, contudo, que, para alguns de vocês, esta pontuação particular pode ficar feia, porque isto vai pesar negativamente para as Ordens que batem na tecla de serem estritamente Cristãs, optando por serem estritamente Protestantes, Anglicanas ou Católicas, e rejeitando qualquer noção de espírito Hermético. Ordens que são exclusivamente Cristãs a ponto de não reconhecerem a importância dos símbolos herméticos mais amplos terão poucos pontos, pois mostra que elas não tem representado as intenções originais e o pensamento versátil por trás do movimento original. Eu estou olhando para pontuar e avaliar representações do Hermetismo Cristãos.

Congratulo-me com qualquer feedback e assistência para melhor definir a corrente Rosacruzes e complementando estes comentários. Meu objetivo aqui não é desacreditar qualquer Ordem, mas sim estabelecer um padrão claro para medir todas as Ordens nos mesmos parâmeros. Ao criar este resultado eu tirei do meu próprio conhecimento Pansófico derivado do meu tempo na Alemanha. Foi o meu mentor que teve a amabilidade de salientar que os rosacruzes foram claramente muito mais progressistas que os seus contemporâneos protestantes na Alemanha. Na verdade temos encontrado que; eles eram Cristãos, mas juntamente com deuses antigos, símbolos pagãos e respondendo um chamado dos neoplatônicos italianos. Para mim, o enigma Rosacruz é bonito e através destas publicações eu espero que a tradição esteja se tornando mais clara para você e que nós possamos reviver seu mistério.

Seu amigo na caminhada,

Samuel Timoti Robinson,

Grande Hierofante da Mystica Aeterna.

Comentários Rosacruzes

Esta seção oferece comentários no meu post de irmãos e irmãs Rosacruzes de outras Ordens Rosacruzes. Vindos de diversas organizações, esta seção nos reúne em um novo incentivo, iniciado bem aqui no Mystica Aeterna, a fim de ajudar a desenvolver a partilha e a comunidade através de nossa bela tradição, não importando as nossas diferenças, formando-nos em uma fraternidade Rosacruz, de conexão, compaixão e de partilha.

Telemachus - Ordem Martinista

LefterisTemos de criar uma distinção clara sobre o que é originalmente Cristão e foi a nós apresentado como Cristão em uma data posterior. Obviamente, o Cristianismo não começa com o Cristo, enquanto Cristo nunca teria objetivado uma corrente Cristã assim denominada. Cristianismo é a continuação de uma corrente que existia primordialmente. Com efeito, os Rosacruzes que se conectam com a corrente poderiam se chamados de Cristãos. O limiar é que o Rosacrucianismo não é uma Ordem, mas um estado de ser.

Tomas Stacewicz - Ordem Hermética da Aurora Nascente

tomasQuanto à noção de supor que a corrente R+C é de alguma forma Protestante ou Luterana em natureza, não aceito esta opinião. A corrente R+C é acima de tudo ecumênica. Muitas pessoas empurram a opinião da R+C ser Protestante, combinando o "Protestante" com ser anti-papal, já que o "Fama et Confessio Fraternitatis" eram abertamente anti-papal. Entretanto, os posteriores Rosacruzes de Ouro, creio eu, estavam muito desapontados com o Luteranismo e, especialmente, com a guerra entre as duas seitas levando a 30 anos de Guerra. O movimento Pietista foi uma espécie de "contra-reforma" ou "re-reforma" da reforma original, e muitos dos primeiros membros da Rosacruz de Ouro Alemã (Gold und Rosenkreutz) eram Pietistas em suas convicções religiosas. Enquanto isto, seus irmãos italianos ainda estavam enraizados em sua herança católica. Além disto, os "Boehmianos" ou Cristãos Teósofos eram ecumênicos e permitiam que tanto protestantes quanto católicos entrassem em suas fileiras, assim como também era o protocolo dos Rosacruzes de Ouro Alemães, etc.

O "Cristianismo" real praticado pelos irmãos e irmãs da R+C não era nem Católico, nem Protestante, ou Ortodoxo para este assunto, como todas essas Igrejas Cristãs eram exotéricas em sua natureza enquanto os Adeptos R+C buscavam uma forma Esotérica ou "Hermética" de Cristianismo, considerando Cristo coo um símbolo de um princípio ou força, em vez de algo concreto, que poderai ser facilmente correspondido com divindades anteriores que representavam o movimento diário e anual do Sol, a Fórmula de Deus Morto e Ressuscitado. Na verdade, as raízes cristãs dos Rosacruzes são egípcias e mais antigas que as primeiras concepções Europeias e modernas. No entanto, os Rosacruzes não tinham problema em serem exteriormente protestantes, católicos ou ortodoxos e praticar os sacramentos exotéricos, pois través da sua iniciação esotérica poderiam justamente decifrar a simbologia dos sacramentos e a iconografia da Igreja. Ao mesmo tempo, no Século XVIII, houve alguns esforços na criação de uma espécie de Igreja Rosacruz Cristã de alguma forma ligada aos Rosacruzes de Ouro, pelo menos na Suécia. Também existiam congregações Swendenborgianas na Suécia, que atraíram Rosacruzes e Alquimistas Suecos.

Alquimia usa a iconografia e mitos da religião Cristã para decifrar seus processos, como também ter feito com a simbologia pagã, destacando-se as tradições pagãs gregas e romanas. Está também subjacente a maneira que os Rosacruzes consideram a religião exotérica, em particular a Cristã, que era a sua religião de escolha, que o evangelho Cristão seria melhor que qualquer outra religião contemporânea para poder carregar e incorporar motes e ensinamentos Herméticos. Eles não tinham nenhum problema com a mistura com o Paganismo, que sublinha como eles viram a mensagem cristã como uma emanação final de uma Tradição Primordial. Isto foi ainda projetado também para práticas teúrgicas que eram utilizadas em conjunto com as práticas alquímicas. O último e moderno exemplo disto são os escritos de Fulcanelli, que usa muitas metáforas Cristãs.

http://gryendemorgonrodnaden.com/

Nick Farrell - Golden Dawn

NickEu não vejo o 5-6 sendo particularmente cristão - para mim é uma abordagem mais Alexandrina onde diferentes Deuses são utilizados de acordo com a sua função. Jesus é bom como um deus sacrificial, neste ponto, vamos usá-lo... Osíris é bom como aqui, vamos usá-lo.

Eu não vejo um tema especificamente gnóstico. Uma das partes mais cruciais da magia é quando o candidato derruba o seu (equilibrado) self inferior para ser um deus das forças desequilibradas. Não há nada no gnosticismo que corresponda a cuidar das forças materiais.

Rosacrucianismo é Protestantismo no seu sentido Renascentista mais vasto. MAS você tem que entender que os elementos do início do Luteranismo teve sua raia cabalística e até mesmo seu lado de religião de mistérios.

No entanto, há demasiada heresia para que isto possa ser visto como um ritual Cristão. Embora um Cristão é dito aquele que toma a sua cruz e segue a Cristo, o mistério centrall não envolve substituir Jesus como um sacrifício vivo. A morte para o velho e a ascenção para o novo não é especificamente pelas obras, mas pela fé em Jesus. Quando uma pessoa de boa vontade cinta-se à cruz, eles estão fazendo algo extremamente impertinente em termos cristãos. No GD 5=6 CRC (a suposta figura de Cristo) é visto como morto em seu túmulo (mais uma vez a ideia de Jesus sendo descrito como morto é uma heresia - e também é assim no mito egípcio).

Minha opinião é que o 5=6 é uma colcha de retalhos que linka ideias usando conceitos Cristãos, Egípcios e Rosacruzes para que se atinja um objetivo. Ele não está vinculado a essas ideias em particular, mas ao resultado.

Paxton Knight - Rosa-Cruz Cabalística

Paxton KnightCabalisticamente, não temos que nos preocupar se o movimento Rosacruz é ou não é Cristão, per se. A arte ainda gira em torno do artigo professado pelos Rosacruzes - que é: curar (grátis... por nada). Isto é idêntico ao conceito Cabalístico da restauração das faíscas dos vasos quebrados que outrora compunham a matéria original. Estes fragmentos originais fraturados são a substância do universo multidimensional que nós chamamos de realidade. O termo para esta restauração na Kabbalah é: Tikkun - que eu já mencionei antes em vários posts. Tikkun é a razão essencial para a criação dos vários Mundos de manifestação. Por quê? Porque proporciona escolha ou movimento.

Esta restauração é realizada pela interação consciente da humanidade com o corpo de D'us (também chamado Adam Kadmon/AK). AK é concebido como o universo em sua totalidade a partir das alturas mais elevadas até as profunidades mais inferiores. Entre quaisquer dois níveis particulares (esferas/pontos/números) de sua revelação, um certo véu ocorre para dar uma identidade separada para qualquer um desses pontos específicos para que sua existência não possa ser perdida no agrupamento da unidade como um fator unificador do Todo. No entanto, Adam Kadmon não só tem um espectro vertical entre construção e destruição ou força e forma. De qualquer modo, estes formam os extremos constitutivos da Cruz - Keter a Malkuth e Chesed a Guevurah.

Em nosso paradigma Rosacruz, quando estes dois extremos se encontram em qualquer nível, algo fantástico ocorre. A Cruz cria quatro ângulos separados de 90° que somam 360°, ou criam um círculo - em outras palavras, um novo universo, uma nova perspectiva ou o nascimento de uma flor. Na Árvore da Vida, isto é expresso através da coluna central e as Sephiroth de Yesod, Tiferet e Daath. Keter e Malkuth não foram incluídos pois eles são dois pólos por onde ocorrem os três de graus de mudança.

Assim, em um sentido moderno, o Tikkun é conseguido através de uma espécie de Tantra de ordenações; uma união entre opostos (na Árvore da Vida) ocorre em três estágios sepados. Eles envolvem Hod e Netzach com Yesod em suas sínteses, Guevurah e Chesed com Tiferet com suas uniões e, finalmente, com Binah e Chokmah com Da'ath com a união. Cada Tikkun representa um desdobramento da consciência em cada nível. E isto pode ser atribuído a três flores separadas para cada estágio, sendo a Rosa especificamente a união entre Chesed e Guevurah em Tiferet.

Então, sim! JC é definitivamente central para o Mistério Rosacruz, mas ele serve mais como um protótipo da perfeição; uma imagem da totalidade do trabalho em um nível particular. Ele é idêntico com o menor homem/criança cósmico [ou "parzuf" (persona) chamado Zeir Anpin na Kabbalah].

Chavah Aima - Builders of the Adytum

Chavah AimaEste é um grande review de muitas tradições que informaram e inspiraram o caminho Rosacruz. É importante notar que muitos estudiosos R+C rejeitam a ideia de que o Casamento Alquímico foi de autoria do(s) mesmo(s) autor(es) do Fama e Confessio. À luz dos estilos de escrita drasticamente diferentes e conteúdos propostos do Fama/Confessio e Bodas Alquímicas, é sábio discernir quais os documentos que contêm critérios reais que identificam a essência da Ordem R+C e seus membros, e que talvez possamos iluminar abordagens para realização daqueles critérios.

Na minha própria jornada R+C, não senti que o Casamento Alquímico tenha sido crítico para compreender as intenções, normas e propósitos da R+C. Eu sinto que o Fama e o Confessio são os documentos primários que servem a esta função. No entanto, o Casamento Alquímico faz sua importante contribuição para a compreensão da R+C. Há também muitas controvérsias entre os estudiosos e grupos R+C em relação a Edward Arthur Waite, e suas opiniões também. À luz das fontes mais objetivas que eu tenho estudado em relação aos R+C, também deve-se aplicar grande discernimento para qualquer coisa escrita por Waite. Se, como este post sugere, o Fama foi escrito em resposta a um documento anterior, que pode muito bem ser o caso, pode-se dizer que as conexões entre Apolo, Osíris e Jesus não são difíceis de se encontrar. Não é difícil compreender que os autores R+C do Fama tiveram finalidades e motivações específicas para substituir Apolo por Jesus. Afinal, estas obras foram escritas no século XVII, quando a queima de hereges pelas autoridades eclesiásticas e de estado ainda eram comuns. No entanto, as razões espirituais para isto também foram extremamente importantes.

Está claro que a ideia de Cristo é parte integrante da filosofia R+C. O que a R+C quer dizer com isto, no entanto, não tem nada a ver com qualquer religião organizada. A ideia de Cristo era importante o suficiente para que o líder e fundador da R+C na Europa fosse nomeado, Christian Rosenkreuz, que significa, Cristão Rosa Cruz. A fim de realmente entender este nome temos de olhar para os primeiros seguidores de Jesus, os Coptas e os Gnósticos. Aqui encontramos evidências por escrito de um nível de iniciação após o qual o discípulo era conhecido como um Crist-ão. Estes detalhes são encontrados no Evangelho de Filipe, encontrado no Egito em 1945, juntamente com vários outros Evangelhos "Gnósticos". Eles foram validados pelos estudiosos como datando do mesmo período de tempo em que os quatro evangelhos da religião Cristã de hoje foram escritos. O nome do fundador também destaca a rosa e a cruz, a base do nome, Rosacruz.

A cruz a princípio parece ser um símbolo cristão e certamente tem sido adotada por religiões que usam o nome Cristã. Entretanto, assim como Filipe descreve um significado completamente diferente para Crist-ão, a cruz é um símbolo que antecede Jesus. Ela pode ser encontrada no simbolismo pagão e também é mencionada em pergaminhos do templo como sendo representada durante certo ritos de iniciação Egípcios. A história de Jesus revela que ele passou toda a sua juventude e adolescência no Egito. Os Evangelhos Coptas e Gnósticos, que revelam uma história completamente diferente da vida e ensinamentos de Jesus a partir do que é vulgarmente conhecido, foram encontrados escondidos em cavernas no Egito.

Há muita evidência e muitos acadêmicos acreditam que Maria Madalena também foi Egípcia. Os quatro evangelhos mencionam que os rituais ela se apresentou, incluindo a unção, eram estranhos para os outros discípulos. O rito da unção em si é encontrado em pergaminhos dos templos Egípcios e é esse rito que Filipe constitui como a iniciação para ser um Crist-ão, não o batismo como as igrejas acreditam. Maria também foi ligada aos templos de Ísis e desempenha o mesmo papel com Jesus que Ísis brincando com Osíris nos mistérios Egípcios. Servindo como sua consorte e companheira, ela busca através de seu corpo e fala as mesmas palavras que Ísis falou quando descobriu que o seu amado foi morto, seu corpo desmembrado e espalhado: "Levaram o meu Senhor e não sei onde ele está". Não há qualquer dúvida em relação à repetição do mito de Ísis e Osíris na história de Jesus e Maria.

Qualquer pessoa que passe um pouco de tempo revendo todos os Evangelhos existentes disponíveis, o mito de Ísis e Osíris, e a pesquisa acadêmica  atual, irá logo descobrir que toda a religião Cristã foi fundada sobre distorções e, em alguns casos, mentiras descaradas. São João, o discípulo "amado" de Jesus, enquanto no exílio, escreveu o Apocalipse, descrevendo a Igreja de Roma como o "anti-Cristo". É crucial notar que, naquela época em que João escreveu o Apocalipse, o papa e seus companheiros eram uma entidade hierárquica organizada tentando criar uma religião em torno de Cristo. Seus verdadeiros seguidores, como São João, compreenderam os ensinamentos de Jesus perfeitamente - ele se opôs a templos, igrejas e sacerdócios de todos os tipos. Os comentários de João sobre o anti-Cristo condenam qualquer grupo que tentam formar uma religião relacionada com Jesus Cristo. Curiosamente, São João desempenha um papel importante em muitas Ordens R+C.

Os autores do Confessio também não se contiveram em suas fortes opiniões daqueles que organizam as religiões: "... Nós, por este meio, condenamos o Ocidente e o Oriente (ou seja, o Papa e Maomé) pelas blasfêmias contra o nosso Senhor Jesus Cristo". No entanto, eles passaram a oferecer suas orações a estas pessoas confusas. Ao mesmo tempo, o autor afirma: "... os mais próximos e os parecidos conosco... tornam a Bíblia a regra de sua vida, o fim de todos os seus estudos, e o compêndio do mundo universal". Eles seguem isso como uma exortação para: "aplicar de forma adequada sua verdadeira interpretação... pois não é nosso costume rebaixar o oráculo divino..." O Confessio, em seguida, aponta que a Bíblia é "indiferentemente usada por teólogos, filósofos, doutores e matemáticos". Claramente, eles não são contra os ensinamentos de Jesus, mas se opõem à aplicação de interpretações teológicas com esses ideais sagradas. É claro nesta e em outras passagens que R+C continua o trabalho de São João de salientar "os impostores". Eles ainda afirmam que o papa é "merecedor do machado" e deve ser decapitado, outro castigo comum na época em que foi escrito.

Apolo, Osíris e Jesus são todos desuses solares e deuses da ressurreição, que trazem a mensagem sobre a Luz. A Luz do Espírito, Luz de Deus ou Luz do Sol é a fonte inesgotável da sabededoria e entendimento R+C. Altamente espiritual, dedicado aos verdadeiros ensinamentos e significados de Jesus Cristo, determinado a compreender os mistérios do Sol e da Lua, da cruz e a rosa, o verdadeiro Rosacruz não tem interesse nas limitações e imposições da religião, mas dá tudo que ele ou ela tem para atingir esta Luz Ilimitada e ser livre.

**********

Veja mais textos do Sam Robinson no Mystica Aeterna (em inglês). Como sugestão de leitura, indicamos alguns de seus posts mais recentes:

Sugestões de melhorias na tradução, enviar através de contato@oalvorecer.com.br

11 comentários sobre “São os Rosacruzes Realmente Cristãos?

  1. Alexandre Catropa

    "A mais alta tolerância com a mais restrita independência." A ordem é muito mais que colegiado de sabedoria e mistério,ela te oferece algo entroca que jamais você esquece e servira para sempre em sua existência.Os métodos usados são muito mais que dogmáticos e sectários é um despertar das forças latentes do ser humano.Os rótolos são difíceis de emblema por que o que está com ela é só dela.

    Responder
    1. Jeff Alves

      Temos que sempre ter em mente que quando falamos de Rosacrucianismo falamos deste sistema filosófico que atualmente possui diversas instituições que o seguem. Logo, não podemos restringir o movimento Rosacruz à AMORC. Muito obrigado pela contribuição, Alexandre.

      Responder
  2. Auro Barreiros

    O caminho mais curto para se dirimir essa dúvida é afiliar-se à Ordem Rosacruz. Estudando e participando da vida templária, logo se chega ao verdadeiro caráter do Rosacrucianismo. Ao se defrontar com a Filosofia Perene, o estudante entenderá que a via mística, ainda que, às vezes, alimentada pela religiosidade latente no ser humano, não depende da religião sistematizada; É um "caminho para dentro", às margens do qual vamos deixando os acessórios circunstanciais. Em tempo: Jesus e Cristo não são a mesma coisa. Todo estudante de misticismo deve saber disso.

    Responder
    1. Jeff Alves

      Nas nossas publicações sobre o Rosacrucianismo, não restringimos o movimento Rosacruz à AMORC. Além disto, nos posts da coluna Mystica Aeterna, consideramos o que a coluna chama Rosacrucianismo Tradicional, ou seja, não nos remetemos às Ordens modernas, mas ao movimento filosófico/esotérico que aparece no mundo profano com os Manifestos.

      Quanto à religião, é isto mesmo que o post diz. Mesmo considerando o Rosacrucianismo como Cristão-Hermético, não significa dizer que você precisa seguir uma religião, mas que o movimento Rosacruz possui esta identidade.

      Grato pela contribuição, Auro.

      Responder
  3. Sam Robinson

    thanks for your support Jeff, I see you are really getting a good understanding of things, Sam 🙂

    Tradução: Obrigado por seu apoio, Jeff. Eu vejo que você está realmente ficando com um bom entendimento das coisas, Sam 🙂

    Responder
    1. Jeff Alves

      I'm learning a lot from their excellent posts, Sam. Thanks for sharing your knowledge with us.

      Tradução: Eu estou aprendendo muito com seus excelentes posts, Sam. Obrigado por compartilhar o seu conhecimento conosco.

      Responder
  4. Pelotas Occulta

    Frater Rosemaat Abiff Diz: Lanço aqui uma provocação a todos os frateres e sorores, irmãos e irmãs. um texto, um paper, um trabalho, sobre judeus e a Rosacruz, Judaísmo e Maçonaria, judaísmo e martinismo, porque os poucos, (quase nenhum judeu rosacruz conheci a exceção do Frater Peter) que se colocavam como Rosacruzes, desmistificavam muitas coisas, muitos amuletos e escritos em hebraico que traduzidos não faziam/fazem o menor sentido.

    Como seria possível a cabala ser transmitida aos goys se é algo tão sagrado, e o Goy dentro do judaísmo não tem nenhuma função com o sagrado?

    Responder
          1. Jeff Alves

            A propósito, meu Irmão, uma sugestão, se me permitir fazer. Quando se clica no link que está no teu perfil de usuário para resposta não se está encaminhando para o seu blog. Está com o hiperlink "http://pelotasocculta.wordpress.com/" quando deveria ser "https://ocultismopel.wordpress.com/". É interessante ajustar para que o leitor também possa ser encaminhado ao seu blog e desfrutar de seus maravilhosos textos.

Deixe uma resposta