ESTUDO OCULTISTA SOBRE O EVANGELHO DE JOÃO

CAPÍTULO 1

1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.

2 Ele estava no princípio com Deus.

3 Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez.

4 Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens;

5 a luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela.

6 Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João.

7 Este veio como testemunha, a fim de dar testemunho da luz, para que todos cressem por meio dele.

8 Ele não era a luz, mas veio para dar testemunho da luz.

9 Pois a verdadeira há consentido no conselho e nos atos dos chegando ao mundo.

10 Estava ele no mundo, e o mundo foi feito por intermédio dele, e o mundo não o conheceu.

Comentário: a Palavra (Logos) é a espada de Cristo, por onde as coisas surgiram em emanação primeira. Assim todo o átomo e mesmo desde a mônada, houve a penetração dessa vitalidade. Esse Logos é um Espírito, que é o Cristo Cósmico e Místico, e encarna através da Virgem (a matéria), assim que vem como Espírito Santo. Ademais, o Logos-Solar ou Cristo-Solar se encarna na constelação de Virgem, e por isso a criança é para ser degolada por Herodes (o Logos ser degolado pela matéria). O Logos é assim crucificado na cruz da matéria, ou seja, nos quatro elementos. Também é ao mesmo tempo o homem celeste, o Novo Adão, que está crucificado no Universo. Já tratamos dele como as esferas da Árvore da Vida, e assim guarda as emanações de Deus, do Altíssimo, Grande Rosto. Essa encarnação não pode ser conhecida sem a iluminação, segundo Jacob Böehme, não bastando mero estudo das Escrituras. É o Homem-Deus, como se referem os Martinistas. A árvore é Cristo e o ramo é Jesus. Volta à lição de Angelus Silésius. Essa palavra também nos leva ao mundo da Imagem Verdadeira, ao paraíso, segundo Taniguchi. Pelo Logos solar que as coisas foram feitas e existem, e do Sol (Universal) que veem e para onde retornam. Aqui se incluem a Criação dos anjos e hierarquias celestes, pois o Adão antes da queda possuía a “vestidura de luz”, era um com Cristo, e assim ordenava e dominava os animais (seres viventes, aves do céu, anjos, hayot etc). O Novo Adão ou Cristo é o Salvador, que livra da escravidão do materialismo e ego (Diabo). Deus tornou-se homem para restaurá-lo, segundo Böehme. E os anjos caídos e Lúcifer teriam um papel de fogo, sendo tal fogo uma relação com a serpente astral, luz astral inferior. A falta de castidade levando a se perder na nona esfera da árvore da vida, encontrando assim a árvore da morte, demoníaca. A queda é uma queda dimensional, e o Verbo lembra que as coisas foram feitas perfeitas. O testemunho da luz é de Cristo, de sua vestidura de luz, aquele “corpo glorioso” a que ainda teremos. Como já falei em livro “Bíblia e Misticismo”, o Verbo é muito um som, um mantra primordial. E cada Era ou Aeon tem sua “Palavra”.

11 Veio para o que era seu, e os seus não o receberam.

12 Mas, a todos quantos o receberam, aos que crêem no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus;

13 os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do varão, mas de Deus.

14 E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai.

15 João deu testemunho dele, e clamou, dizendo: Este é aquele de quem eu disse: O que vem depois de mim, passou adiante de mim; porque antes de mim ele já existia.

16 Pois todos nós recebemos da sua plenitude, e graça sobre graça.

Comentário: o nome é Yeheshua, que é uma referência ao nome divino de Jesus. É o nome de Deus, o tetragrama, adicionado da letra Shim, que significa a descida do Espírito Santo. João é a porta estreita, é um dos messias, dos dois a que a tradição dos essênios e as messiânicas já esperavam. Uma porta triangular para a iniciação. João é ao mesmo tempo o passado e o futuro, e assim também um João escreveu o livro do Apocalipse ou Revelação. Um dos dois messias teve sua vida mais exposta, e entre eles trocavam ensinamentos e acabou o Verbo se fazendo carne, na forma de Cristo Interno, naquele batismo de fogo. A pessoa de João fez o batismo de água, que era a iniciação. João é também o João interno, segundo Pistis Sophia, e assim é a reencarnação do Elias. João sendo o precursor, aquele que prepara o caminho do Cristo Íntimo, segundo Samael Aun Weor. O iniciado desce assim ao inferno, semelhante a o que fez o Cristo, antes de encontrar o Reino. Sobre o Verbo se fazer carne, disse Böehme: “Quando o Verbo se colocou em movimento para a revelação da vida, ele se revelou na essencialidade divina, na água da vida eterna; ele a penetrou e se tornou súlfur, ou seja, carne e sangue; produziu a tintura celestial, que envolve e preenche a Divindade, onde a sabedoria de Deus permanece eternamente com a magia divina. Compreenda corretamente: A Divindade desejou tornar-se carne e sangue; embora o puro e imaculado Deus permanece espírito, tornou-se o espírito e a vida da carne, operando na carne; assim, quando penetramos, através de nosso desejo, em Deus, nos doando totalmente a ele, podemos dizer que penetramos a carne e sangue de Deus, vivemos em Deus, pois o Verbo se fez homem e Deus é o Verbo” (A Encarnação de Jesus Cristo). Portanto, necessária se faça a “reintegração” a Cristo, que esteve também no ramo do adepto Jesus, para nos mostrar o caminho e revelar a verdade. Carne não significa apenas o corpo, mas a dimensão da matéria como um todo.

17 Porque a lei foi dada por meio de Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo.

18 Ninguém jamais viu a Deus. O Deus unigênito, que está no seio do Pai, esse o deu a conhecer.

19 E este foi o testemunho de João, quando os judeus lhe enviaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para que lhe perguntassem: Quem és tu?

20 Ele, pois, confessou e não negou; sim, confessou: Eu não sou o Cristo.

21 Ao que lhe perguntaram: Pois que? És tu Elias? Respondeu ele: Não sou. És tu o profeta? E respondeu: Não.

22 Disseram-lhe, pois: Quem és? para podermos dar resposta aos que nos enviaram; que dizes de ti mesmo?

23 Respondeu ele: Eu sou a voz do que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor, como disse o profeta Isaías.

Comentário: Não se pode ver a Face senão através de seu anjo, Metraton, que em muito se identifica com o Cristo. Esse é o Grande Rosto, onde está o Pai, o Ancião dos Dias, e que está acessível através da esfera da árvore da vida de tipharet, ou Cristo. O Cristo que existe em cada um de nós pode por fim revelar o Pai, e esse encarna, ressuscita e sobe ao céu. Perguntar pelo seu paradeiro é uma forma profana de reagir, uma vez que renascemos em Cristo. Não se trata apenas de um homem como insistimos em refletir nessa obra. Cristo é Heli, o homem primordial, segundo Pasqually. Entende Vicente Velado: “Não se pode confundir o veículo físico chamado Jesus com o Cristo Cósmico nele manifestado”.

24 E os que tinham sido enviados eram dos fariseus.

25 Então lhe perguntaram: Por que batizas, pois, se tu não és o Cristo, nem Elias, nem o profeta?

26 Respondeu-lhes João: Eu batizo em água; no meio de vós está um a quem vós não conheceis.

27 aquele que vem depois de mim, de quem eu não sou digno de desatar a correia da alparca.

28 Estas coisas aconteceram em Betânia, além do Jordão, onde João estava batizando.

Comentário: O João era o próprio messias, um dos dois, e assim oculto, uma porta ou portal. O batismo é uma purificação, exigência de iniciação.

29 No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.

30 este é aquele de quem eu disse: Depois de mim vem um varão que passou adiante de mim, porque antes de mim ele já existia.

Comentário: Uma simbologia messiânica. O Cristo é sacrificado na semelhança do cordeiro, pois em toda a páscoa o Logos-Solar se sacrifica pela natureza, que depois se renova nos 4 elementos. A palavra INRI se refere à renovação pelo fogo e aos 4 elementos. A Era ou Aeon de Áries, o “cordeiro”. Também vemos noutros evangelhos o relato da pescaria, de peixes, que se refere à Era de Peixes. O Cristo-Solar passando pelas constelações e tendo a experiência do Cósmico, bem como em todos nós. Tira o pecado porque o mundo evolui através Dele. O sacrifício de Deus é limitar os Seus poderes no plano material, encarnar. É a Lei do Sacrifício. O mineral se sacrifica pelo vegetal, o vegetal pelo animal, e ambos pelo homem. O homem sacrifica seus animais internos, impulsos, por Deus. E Maimônides fala de cordeiros como vestimentas, que ocultam a sabedoria.

31 Eu não o conhecia; mas, para que ele fosse manifestado a Israel, é que vim batizando em água.

32 E João deu testemunho, dizendo: Vi o Espírito descer do céu como pomba, e repousar sobre ele.

33 Eu não o conhecia; mas o que me enviou a batizar em água, esse me disse: Aquele sobre quem vires descer o Espírito, e sobre ele permanecer, esse é o que batiza no Espírito Santo.

34 Eu mesmo vi e já vos dei testemunho de que este é o Filho de Deus.

Comentário: O batismo é a iniciação nos mistérios de Cristo. Não se refere a uma religião, mas a uma vivência interna e cósmica, pessoal (pegar a cruz e segui-lo...). O batismo da água é um grau inicial, já o batismo de fogo é grau avançado. O batismo de fogo é o do Espírito Santo, que dá as 12 faculdades e que possibilita vestir a vestimenta, para assim adentrar nos aeones. A pomba é um animal de Vênus, logo nos leva a pensar na doutrina do amor. Também reflete a paz. Outro símbolo parecido é a fênix, que assim ressuscita de si mesma pelo fogo. O pio pelicano que sustenta seus filhotes com o sangue do peito. O caminho do coração. Bricaud ainda fala no batismo de ar, que estaria junto ao de fogo, chamado consamentum, e pelo qual se torna o homem “filho de Deus”. Sem esse batismo de fogo e ar não se pode entrar no Pleroma. O batismo de fogo e ar se dava na idade mínima de 20 anos.

35 No dia seguinte João estava outra vez ali, com dois dos seus discípulos

36 e, olhando para Jesus, que passava, disse: Eis o Cordeiro de Deus!

37 Aqueles dois discípulos ouviram-no dizer isto, e seguiram a Jesus.

38 Voltando-se Jesus e vendo que o seguiam, perguntou-lhes: Que buscais? Disseram-lhe eles: rabi (que, traduzido, quer dizer Mestre), onde pousas?

39 Respondeu-lhes: Vinde, e vereis. Foram, pois, e viram onde pousava; e passaram o dia com ele; era cerca da hora décima.

40 André, irmão de Simão Pedro, era um dos dois que ouviram João falar, e que seguiram a Jesus.

41 Ele achou primeiro a seu irmão Simão, e disse-lhe: Havemos achado o Messias (que, traduzido, quer dizer Cristo).

42 E o levou a Jesus. Jesus, fixando nele o olhar, disse: Tu és Simão, filho de João, tu serás chamado Cefas (que quer dizer Pedro).

Comentário: Hora décima devia ser umas 4 da tarde. Messias é aquele que é ungido. A unção se dava com óleo santo. Pedro é a pedra fundamental do “templo”, e a pedra de tropeço. Refere-se muito a castidade, quando vemos a trajetória dele. O Cordeiro de Deus está sacrificado desde a fundação do mundo.

43 No dia seguinte Jesus resolveu partir para a Galiléia, e achando a Felipe disse-lhe: Segue-me.

44 Ora, Felipe era de Betsaida, cidade de André e de Pedro.

45 Felipe achou a Natanael, e disse-lhe: Acabamos de achar aquele de quem escreveram Moisés na lei, e os profetas: Jesus de Nazaré, filho de José.

46 Perguntou-lhe Natanael: Pode haver coisa bem vinda de Nazaré? Disse-lhe Felipe: Vem e vê.

47 Jesus, vendo Natanael aproximar-se dele, disse a seu respeito: Eis um verdadeiro israelita, em quem não há dolo!

48 Perguntou-lhe Natanael: Donde me conheces? Respondeu-lhe Jesus: Antes que Felipe te chamasse, eu te vi, quando estavas debaixo da figueira.

49 Respondeu-lhe Natanael: Rabi, tu és o Filho de Deus, tu és rei de Israel.

50 Ao que lhe disse Jesus: Porque te disse: Vi-te debaixo da figueira, crês? coisas maiores do que estas verás.

51 E acrescentou: Em verdade, em verdade vos digo que vereis o céu aberto, e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do homem.

Comentário: Os 12 Apóstolos são as 12 potestades, que também são interiores ao homem. Eles levam aos 12 aeones e podemos pensar nos mesmos como representantes das 12 tribos de Israel. Outrossim, vemos aqui mais uma vez as 12 constelações do céu, uma referência aos animais sagrados (seres viventes ou hayot), que são descritos em Gênese, Ezequiel e Apocalipse. A relação com os anjos se vê estreita e os poderes celestes e divinos aparecem no Cristo Místico e Mítico. A visão do filho do homem é usar de todas as vestimentas e trafegar pelas dimensões, a “Escada de Jacó”, onde anjos sobem e descem. O Filho do Homem é o homem celeste, Adão Kadmon, que partilha do mesmo símbolo das esferas ou sephirot da árvore da vida. Refere-se ao Cristo Cósmico e Interno, e por isso do céu se abrir, esse que vem na experiência mística da teofania.

(Parte de livro Bíblia e Mistérios)

Publicado em Categorias Gnose, Kabbalah, Martinismo, Mysterium Soltys, Religiões, Rosacrucianismo, Teosofia Cristã

Sobre Frater Soltys

Sou Mariano Soltys, escritor e advogado residente em São Bento do Sul, Santa Catarina, com 30 livros publicados, sobre autoajuda, sociedades secretas, religião, linguagem corporal, psicologia e filosofia, com tom místico. Escrevo também poesias e busco um aprofundamento nos versos. Membro da ALB/ Araraquara e da Academia Paranocatarinense de Letras, cadeira 39, bem como da USBE (União São-Bentense de escritores). Conselheiro de Cultura e apoiador cultural, em projetos de novos escritores. Ou seja, possuo 33 livros e mais ainda sairão brevemente.

5 comentários sobre “ESTUDO OCULTISTA SOBRE O EVANGELHO DE JOÃO

  1. sinopticos19

    Frater Soltys, peço a vc que informe a autoria e outros dados que me permitam chegar ao livro "Bíblia e Mistérios".

    Com votos de saúde,

    J E

    Responder
    1. Frater Soltys

      Boa tarde amigo JE. O livro é de minha autoria, e forma parte de um quarteto, quatro obras sobre a Bíblia que escrevi. Está na editora Clube de Autores, em http://www.clubedeautores.com.br/book/149536--BIBLIA_E_MISTERIOS?topic=biblia#.WLXgYjp-uCg . Os autores pesquisados estão nas referências, ao final da obra:

      Referências
      ADOUM, Jorge. Eu Sou. E-book. Disponível na Internet. Alcorão. trad. Mansour Challita São Paulo: Bestbolso, 2012. BESANT, Annie. O Cristianismo Esotérico. trad. E. Nicoll. São Paulo: Pensamento. Bíblia Sagrada. Versão João Ferreira de Almeida. E-book. Bíblia Sagrada. Versão Ave Maria. BLAVATSKY, Helena Petrovna. A Doutrina Secreta. 6 vol. São Paulo: Pensamento, 2011. BLAVATSKY, Helena Petrovna. Ísis Sem Véu. 3 vol. Disponível na internetBÖEHME, Jacob. A Encarnação de Jesus Cristo. Disponível na Internet no site http://www.sca.org.br BÖEHME, Jacob. O Caminho para Cristo. Disponível na Internet no site http://www.sca.org.br BRICAUD, S.G. Johannes. Curso: A Doutrina Cristã Esotérica. Revista Gnóstica 8. Lyon, 1907. CAMPOS, Cyro de Moraes. Os Originais da Bíblia. São Paulo: Empresa gráfica da revista dos tribunais, 1971 CHILES, Burtner e. Coletânia de Teologia João Wesley. CLARK, David R. A Cruz e seu Simbolismo. Disponível na Internet no site http://www.sca.org.br GFB (Acaria). Cristo Místico e Oculto. E-book. HA’LEVI, Misha’El Yehudá. Adamah: as origens secretas da humanidade. 1ª ed. São Paulo: Clube de Autores, 2012. Hermes Trimegisto. Caibalion. São Paulo: Pensamento, 1997. Hermes Trimegisto.Corpus Hermeticum. Texto disponível na Internet no site http://www.4share.com HUBRIS, Lisandro e Sangredus. A Bíblia Desmascarada. Ebook. Disponível em http://www.recantodasletras.com.br FORTUNE, Dion. A Cabala Mística. Texto disponível na Internet no site http://www.sothis.com.br GOETSCHEL, Roland. Cabala. trad. Myrian Campello. Porto Alegre: L&PM, 2010. HALEVI, Shimon. Cabala: A árvore da vida. São Paulo: Três, 1973.
      HEINDEL, Max. Alegorias Astronômicas da Bíblia. Em ebook “A Bíblia e o cosmos”. Disponível na Internet em http://www.summvmbonvm.com HEINDEL, Max. A Interpretação Mística do Natal. Texto disponível na Internet no site http://www.maxheindel.com.br HEINDEL, Max. Conceito Rosa-Cruz do Cosmo. Texto disponível na Internet no site http://www.maxheindel.com.br HEINDEL, Max. Cristianismo Rosa-Cruz. Texto disponível na Internet no site http://www.maxheindel.com.br HELINE, Corine. Bíblia e Mitologia. Disponível na Internet. LEON, Moses de (Simeon Bar Yohai). Zohar. Texto disponível na Internet no site http://www.4share.com LEWIS, H. Spencer. A Vida Mística de Jesus. 7ª ed. Curitiba: AMORC, 1997. LEWIS, H. Spencer. As Doutrinas Secretas de Jesus. Rio de Janeiro: Renes, 1975. MAIMÔNIDES. Leyes de los Fundamentos de la Torá. Texto disponível na Internet no site http://www.4share.com MANZANARES, César Vidal. Dicionário de Jesus e dos Evangelhos. MARTIN, Louis Claude de Saint. Ecce Homo. Disponível na Internet no site http://www.sca.org.br MARTIN, Louis Claude de Saint. Instruções aos Homens de Desejo. Disponível na Internet no site http://www.sca.org.br MARTIN, Louis Claude de Saint. O Novo Homem. Disponível na Internet no site http://www.sca.org.br MEAD, GRS. Os testemunhos externos mais antigos referentes às histórias de Jesus no Talmude. Disponível na Internet. MEAD, GRS. As histórias de Jesus Balaão do Talmude. Disponível na Internet . MEAD, GRS. As histórias de Jesus ben Stada do Talmude. Disponível na Internet. MEAD, GRS. As histórias de Maria no Talmude. Disponível na Internet.
      MEAD, GRS. Uma vida judia de Jesus. Disponível na Internet. MINIKOVSKY, Cléverson Israel. A Bíblia em Minutos. São Paulo: Clube de Autores, 2013. MINIKOVSKY, Cléverson Israel. Heráclito versus Parmênides: história da filosofia. São Paulo: Biblioteca 24x7, 2009. MIRÀNDOLA, Pico Della. A Dignidade do Homem. São Paulo: Escala, 2004. MIRÀNDOLA, Pico Della. Conclusiones Magicas y Cabalísticas. trad. Eduardo Sierra Valenti. Argentina. MOURAVIEFF, Boris. Gnosis: Cristianismo esotérico. Disponível na Internet. OTT, Ludwig. Manual de Teologia Dogmática. Texto disponível na Internet no site http://www.4share.com PAPUS. Tratado de Ciências Ocultas. São Paulo: Três, 1973. Pistis sophia. PASQUALLY, Martinez de. Tratado da Reintegração dos Seres. Disponível na Internet no site http://www.sca.org.br PIZZINGA, Rodolfo Domenico. Aspectos Esotéricos da Vida de Jesus. E-book. Disponível na Internet em http://paxprofundis.org/ PIZZINGA, Rodolfo Domenico. O Evangelho de Felipe: doutrinas gnóstico-iniciáticas. E-book. Disponível na Internet em http://paxprofundis.org/ PIZZINGA, Rodolfo Domenico. Revisitação comentada de algumas sentenças crípticas e herméticas do Evangelho de Tomé. E-book. Disponível na Internet em http://paxprofundis.org/ QUINTANILHA, Alexandre e Analete. Chave Bíblica. RUGGIERO, Irene Gómes. Símbolos Bíblicos a Luz da Filosofia Rosacruz. Texto disponível na Internet no site http://www.maxheindel.com.br SCHONFIELD, Hugh. A Odisséia Dos Essênios. trad. Júlia Bárány Bartolomei. São Paulo: Mercuryo, 1991.
      Sepher Yetzirah. Disponível na Internet no site http://www.sca.org.br SOLTYS, Mariano. Axiologia. Blumenau: Nova Letra, 2009 SOLTYS, Mariano. Bíblia e Misticismo. São Paulo: AGBook, 2012. SOLTYS, Mariano. Crítica das Crenças. São Paulo: Clube de Autores, 2011. SOLTYS, Mariano. Reflexões Gerais: reflexões filosóficas sobre a realidade contemporânea. São Paulo: Biblioteca 24x7, 2008. SMITH, Archer William. História da Bíblia: Novo Testamento: cristianismo nascido como complô. São Paulo: IBRASA, 2000. TANIGUCHI, Masaharu. Preleções sobre a Interpretação do Evangelho Segundo João, à Luz do ensinamento da Seichono-iê. São Paulo: Seicho-no-iê, 1995. The Babylonian Talmud. Vol. 1-10. trad. Michael L. Rodkinson VEDA, Deepamkara. Os 72 Nomes de Deus. 1ª. ed. São Paulo: Clube de Autores, 2012. UNGER, Merrill Frederick. Manual Bíblico Unger. trad. Eduardo Pereira e Ferreira. São Paulo: Vida Nova, 2006. VELADO, Vicente. O Significado Místico da Crucifixão. Disponível na Internet em http://www.summvmbonvm.com VELADO, Vicente. Cristo. Disponível na Internet em http://www.summvmbonvm.com VELADO, Vicente. Opus Dei. Disponível na Internet em http://www.summvmbonvm.com WEOR, Samael Aun. As Sagradas Escrituras Confirmam a Gnosis. Livro eletrônico(e-book). Disponível na Internet no site http://www.gnosisonline.org WEOR, Samael Aun. Cristo Cósmico e Histórico. Livro eletrônico(e-book). Disponível na Internet no site http://www.gnosisonline.org WEOR, Samael Aun. Curso Esotérico de Cabala. Livro eletrônico(e-book). Disponível na Internet no site http://www.gnosisonline.org WEOR, Samael Aun. Pistis Sophia Revelada. Livro eletrônico(e-book). Disponível na Internet no site http://www.gnosisonline.org ZALMAN, Rabi Shneur. O Tanya.

      Responder
      1. sinopticos19

        Frater Soltys,

        "A unção se dava com óleo santo. Pedro é a pedra fundamental do “templo”, e a pedra de tropeço. Refere-se muito a CASTIDADE, quando vemos a trajetória dele."

        Na sua opinião, "castidade" se refere a quê?
        A Igreja Romana me ensinou que é o monopólio do prazer sexual pelos casais casados, mas como esse ensinamento teve consequências nefastas para mim, eu o rejeitei junto com toda a Igreja ( a rejeição de TODA A IGREJA ROMANA não se deve apenas às consequências nefastas desse ensinamento, mas enquanto eu estava ligado a ele, de cabeça e coração, esse ensinamento foi a pior coisa).

        Em sua obra "Comentários à Bíblia", que já comecei a ler, encontrei algumas vezes essa palavra nos comentários, então você deve ter algum conceito ou definição para ela.

        Com votos de saúde,

        José Elias

        Responder
        1. Frater Soltys

          Boa noite José Elias. Dessa parte do texto, e esse livro é uma junção dos dois primeiros livros sobre o tema que escrevi, usei algo de gnose, mais especificamente do movimento de Samael Aun Weor, que apesar de sofrer críticas, teve uma boa base, como a Fraternitas Rosacruciana Antiqua, desse modo, a opinião de castidade é mais ou menos do ponto de vista dele, do mestre Huiracocha, esse último que chegou a sofrer influência telemita. Também a castidade em questão está em Jorge Adoum. Para tanto, para não me estender, basta indicar ao senhor a leitura dos três autores, nas obras onde comentam o termo castidade, para que apareça o arcano a que me referi. Também a igreja Romana tem a castidade a que cita Apocalipse, na questão de não mais haverem casamentos. De apócrifos o livro de Tomé fala nos solteiros, ademais. Fato é que tantos casados, quanto solteiros podem encontrar a castidade. Parece que a pureza de intenção, a não concupiscência e outras coisas levem a verdade nesse sentido. Livros como a Sarça de Horeb, O Matrimônio Perfeito, e mesmo o artigo sobre Huiracoha do site mesmo, lhe derão o caminho a esse aspecto a que citei em meu livro.

          Responder
          1. sinopticos19

            Agradeço pela atenção, Frater Soltys - parece que o assunto está mesmo envolto pela obscuridade.
            Apocalipse - haverá livro menos linear, menos compreensível , na Bíblia atualmente reconhecida pelas Igrejas Protestantes, ou na Bíblia reconhecida pela Igreja Romana?
            Deve ser um livro escrito em código.

            Jorge Adoum - tive oportunidade de ler uma obra dele, cujo título esqueci, pois não compreendi uma palavra - se ele não escreve em código, eu devo ser quase uma pessoa com sérios problemas cognitivos - um retardado mental , como se dizia antigamente....

            Desejo saúde , e saúde duradoura a você, Frater Soltys!!!

Deixe uma resposta