Pular para o conteúdo

2

CONVERGÊNCIA DO MATERIALISMO DE ENGELS E O MISTICISMO DE CROWLEY NA FORMAÇÃO DA MENTALIDADE HUMANA ATRAVÉS DO TEMPO

CONVERGENCE OF MATERIALISM OF ENGELS AND MYSTICISM OF CROWLEY IN HUMAN MENTALITY FORMATION THROUGH TIME

Acauã Alves Galvão da Silva*

RESUMO: Este artigo busca apresentar a discutir a convergência histórica e epistemológica entre a obra materialismo histórica “A Origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado” de Friedrich Engels e o pensamento místico elaborado por Aleister Crowley sobre a formação da mentalidade humana através do tempo.

Palavras-Chave: Materialismo, Misticismo, História, Friedrich Engels, Aleister Crowley.

ABSTRACT: This article seeks to present to discuss the historical and epistemological convergence between historical materialism work “The Origin of the Family” of Friedrich Engels and the mystical thought written by Aleister Crowley on the formation of the human mind over time.

Keywords: Materialism, Mysticism, History, Friedrich Engels, Aleister Crowley.

engles-crowley

Introdução

A conhecida obra de Friedrich Engels (1820-1895),  “A Origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado”, publicada em 1884, segundo o próprio Engels seria uma “investigação materialista da história” sobre a instituição familiar e seu evolucionismo cultural, desde a pré-história até as grandes civilizações da Antiguidade.

É apresentado no livro a divisão da história da humanidade em distintas fases, na qual é baseado no trabalho do antropólogo Lewis Henry Morgan (1818-1881). Ele classifica em estado selvagem, barbárie e civilização, na qual, “só se ocupa, naturalmente, das duas primeiras e da transição para terceira” (ENGELS, 2005: 29); já que o campo da antropologia abrange somente essas duas. A terceira fase seria objeto de estudo da Ciência da História.

Apesar dos pequenos erros, por exemplo, “a fundição de ferro não é um marco entre as fases média e superior da barbárie” (CARNEIRO, 2015) e a terminologia das três fases marcadas pelo espírito vitoriano da época em que foi escrito, “em geral, corresponde aos estudos posteriores, à luz da ciência contemporânea” (CARNEIRO, 2015).

...continuar lendo "Convergência do materialismo de Engels e o misticismo de Crowley na formação da mentalidade humana através do tempo"

[The Kybalion's New Clothes: An Early 20th Century Text's Dubious Association with Hermeticism, de autoria de Nicholas E. Chapel, publicado por Journal of the Western Mystery Tradition, n° 24, vol. 3, Vernall Equinox 2013, disponível em < http://www.jwmt.org/v3n24/chapel.html>. Traduzido por Lucas Moraes. Tradução autorizada pelo autor]

O Caibalion, publicado em 1912 pelo pseudônimo Três Iniciados, é amplamente considerado como um clássico do esoterismo do século XX. O trabalho consiste em aforismos a partir de um texto de mesmo nome, bem como extensos comentários sobre estes. Ele descreve sete princípios ou leis universais "sobre as quais," afirma, "toda a Filosofia Hermética é baseada."1 Uma boa compreensão e aplicação dessas leis, de acordo com o texto, permitirá que um indivíduo alcance o autodomínio.

Já se reconhece amplamente hoje que O Caibalion, tanto como uma coleção de aforismos quanto de comentários subsequentes, foi um produto de um movimento do final do séc. XIX e início do século XX, o movimento do Novo Pensamento, e foi provavelmente escrito individualmente por William Walker Atkinson. Apesar da aceitação generalizada desta posição, no entanto, a associação auto-proclamada do Caibalion com Hermetismo tem sido em grande parte incontestada. Philip Deslippe, em sua introdução à edição Penguin/Tarcher de O Caibalion[1], tem muito a dizer sobre o contexto do Novo Pensamento, do qual o trabalho emergiu, e trás convincentes argumentos sobre a autoria de Atkinson, mas, ao mesmo tempo, ele entusiasticamente promove O Caibalion como um herdeiro da tradição hermética, afirmando que ele "criou uma ponte entre os mundos ocultos dos séculos XIX e XX, amalgamando ensinamentos esotéricos e organizando-os de tal forma que iriam inspirar de maneira única um vasto e diversificado grupo de buscadores, até os dias de hoje."2 Enquanto o último pode ser verdade, quando afirma que O Caibalion é um exemplo de filosofia hermética, ou mesmo um herdeiro da mesma, ele pisa em um terreno consideravelmente mais frágil. Certamente, O Caibalion está firmemente arraigado na tradição esotérica ocidental. No entanto, estaria ele realmente em consonância com o domínio específico do Hermetismo? Este estudo realiza uma análise crítica do pensamento de O Caibalion em comparação e em contraste com o pensamento Hermético antigo e moderno, a fim de responder a esta pergunta. Além disso, apesar da associação do Caibalion com o Novo Pensamento não ser de forma alguma novidade, as análises detalhando os pontos em comum entre os dois campos têm sido, até agora, em grande parte de natureza superficial. Assim, um dos objetivos deste estudo é ilustrar também mais claramente as formas nas quais O Caibalion evidencia a doutrina do Novo Pensamento, e situá-las de forma adequada dentro deste contexto. E então, com O Caibalion situado em seu adequado quadro histórico, proceder-se-á o estudo para avaliar a conexão do Caibalion, ou falta dela, com o Hermetismo enquanto corrente histórica.

...continuar lendo "A Nova Roupa do Caibalion: Associação duvidosa de um texto do início do Séc. XX com o Hermetismo"