Pular para o conteúdo

A Lua e as Emoções

jeremy-geddes-lunc3a1tico-3-thumb-600x338-13076Deste tempos remotos que a humanidade dá à Lua uma importância muito grande no comportamento e na vida cotidiana. Os antigos respeitavam as fases da Lua para plantarem, chocarem a criação, etc. Também se atribui à Lua uma influência mística, geralmente de cunho negativo e deteriorado, que diz respeito ao equilíbrio emocional dos seres humanos, sendo que a palavra lunático se tornou sinônimo de desequilibrado mental, em suma. Lunático é todo aquele que, por temperamento, crê e descrê incessantemente, à semelhança do astro do céu em seu trânsito inexorável.

Até o final do ano de 1808 era relatado em muitos boletins que no hospital de Bethkehem, na cidade de Nova York, era comum o costume de bater nos pacientes quando havia aproximação de certas fases lunares, de modo a antecipar as crises mais fortes que poderiam desequilibrar os doentes mais sensíveis.

Também podemos destacar os casos de Doris Gloss, a famosa degoladora de Menlo Park; John Edward Allen, o vampiro de Lancashire Jack, o estripador, que segundo os informes só atacava em noites de Lua Cheia. Mas, realmente será que a lua cheia influência tão fortemente um ser desequilibrado ou sensível?

É evidente que sim e é precisamente claro que a lua torna as moites mais misteriosas e que sua luz tênue é capaz de influenciar o que está abaixo dela. Os desequilibrados classificados como agressivos, piromaníacos, cleptomaníacos, suicidas, esquizofrênicos, etilistas e sádicos, por exemplo, atuam mais frequentemente quando a lua está em fase de crescimento do que quando em fase de diminuição. Os psiquiatras que não acreditam na influência da Lua seria capaz de afirmar que os loucos passam por períodos cíclicos de excitação e depressão. Porém, como se explica o acaso de uma pessoa mentalmente perturbada que teve uma crise aguda na lua cheia conhecer uma nova crise na fase seguinte?

Sabe-se que a ionização e o magnetismo terrestre variam muito com as fases lunares. Será possível que este fervilhar de átomos e elétrons excite consideravelmente os doentes mentais? Leonard J. Ravitz, em 1960, mediu a diferença de potencial elétrico entre a cabeça e o peito de doentes mentais e os resultados variavam dia a dia, além de que, segundo ele, a agitação dos alienados aumentava durante as fases de lua cheia. Sua explicação: “a lua cheia não determina diretamente o comportamento humano, mas, ao modificar a relação de forças eletromagnéticas do Universo, seria capaz de provocar as mais variadas manifestações catastróficas em seus alienados que correspondem inconscientemente às poderosas fases da Lua.

A lua cheia é uma força desconhecida para os homens da Terra, que sabem que atua, mas não sabem o porquê. Ao menos especula-se que a Lua aponta manifestações de nosso equilíbrio emocional – nosso humor funciona exatamente com as fases da Lua.

Diário da Lua

Osho, em seu livro Uma Farmácia para a Alma, coloca-nos a disposição o seguinte exercício, o qual recomendo a vocês para comprovarem o que foi colocado através da experimentação pessoal.

A lua pode ter um grande efeito sobre as pessoas. Então preste atenção e use-a a seu favor. Mantenha um diário durante pelo menos dois meses e acompanhe as fases da lua. Comece com a lua nova e escreva como você se sentiu nesse dia. Continue descrevendo seu cotidiano nas demais fases lunares. Você vai perceber que há um ritmo e que seus humores se movem de acordo com o ritmo da lua.

Quando tiver mapeado seu próprio ritmo com precisão, poderá fazer muitas coisas. Poderá saber de antemão, por exemplo,o que irá acontecer no dia seguinte e se preparar para isto. Se a previsão mostrar que você se sentirá triste, aprecie esta tristeza. Não lute contra ela, use-a, porque a tristeza também pode ser usada.

Fases Lunares

Como adendo, deixo um trecho da apostila A Lua: seus múltiplos significados e atributos, da autora Márcia Mattos, acerca das fases lunares

Lua Nova
Inaugura um novo ciclo. É a semente do ciclo lunar que começa. O mapa astrológico levantado para a Lua Nova é a chave das influências de todo mês lunar que se aproxima. Simboliza um novo impulso ou oportunidade para crescimento. No entanto, o ciclo que se inicia não começa de um só golpe. A princípio, sente-se um alívio ou libertação das pressões do mês anterior, mas aquilo que vai ser desenvolvido durante o mês que se adianta emerge gradualmente. Nessa fase, o que se tenta desenvolver ainda não é um fato real, mas apenas uma possibilidade que precisa ser definida e alimentada nas semanas que virão. Além disso, o início do ciclo é sempre cercado de fantasmas e de assuntos inacabados dos ciclos anteriores. O signo do zodíaco onde ocorre a Lua Nova representa qualidades deste novo impulso e, ao mesmo tempo, o antídoto e as soluções para se eliminar os restos deixados pelo ciclo anterior.

Lua crescente
Indica um crescimento (começado na Lua Nova) que pode ser impedido ou bloqueado por obstáculos o assuntos não resolvidos no passado. Idealmente, esse seria um período para vencer os obstáculos não resolvidos. É, aliás, o que deve acontecer se quisermos que toda a energia a ser liberada durante a Lua Cheia seja aproveitada. O quarto crescente nos aponta um quadro de necessidade de mudança e remanejamento. Se as dificuldades do passado não ficarem esclarecidas aqui e resolvidas ou se o crescimento for letárgico, então a iluminação oferecida durante este ciclo não será completada. Qualquer padrão que foi estabelecido neste primeiro ciclo, de crescimento ou de dificuldade, continuará a ser desenvolvido durante o resto do ciclo lunar. Aqui, o que quer que esteja sendo desenvolvido em nós ou em nossas vidas sofrerá um teste e precisará ser definido claramente e delineado em uma direção. Isto significa fazer opções entre várias possibilidades e alguns padrões habituais antigos. Há emergência, independência, atividade e comprometimento. Não é hora de fugir.

Lua Cheia
Culminam a semente e o potencial inaugurado na Lua Nova. Se tiver sido desenvolvida uma atitude positiva de crescimento e as etapas tiverem sido superadas durante o quatro crescente, então a Lua Cheia trará a realização e a satisfação. Caso contrário, pode trazer conflitos, problemas, aparecimento de uma situação de ansiedade e até afetar a saúde física. A Lua Cheia é um transbordamento. Neste período, deve se atingir o ápice daquilo que vinha sendo desenvolvendo nas fases iniciais para melhor ou para pior, para o sucesso ou o fracasso. Se o nosso trabalho anterior tiver sido bem sucedido, então a Lua Cheia iniciará um processo de usar, ampliar, partilhar e assimilar essas experiências. Se, por outro lado, nossos esforços não tenham sido proveitosos (durante a fase crescente) as coisas não irão acontecer do jeito que esperávamos, porque tinham apenas valor temporário. A Lua Cheia pode nos estimular a abandonar essas situações, relacionamento ou coisa que eram incapazes de preencher uma função positiva em nossas vidas e se soubermos deixá-las, estaremos abrindo espaço para um crescimento futuro no próximo ciclo que se aproxima.

Lua Minguante
Se a Lua Crescente nos desafia a crescer para fora e agir de modo a realizar nossas possibilidades, a Lua Minguante nos desafia a crescer para dentro e a mudar. Qualquer coisa que não se harmoniza com este crescimento interno e essa maior compreensão de nossas experiências, deve ser deixado de lado. O momento aqui é ultra favorável a “insights”. Questionando posicionamentos antigos, poderemos nos abrir para novas idéias e ideais. A última fase deste ciclo, que antecede imediatamente à Lua Nova, marca um período de transição, o período “semente” entre o ciclo que se encerra e o próximo que se anuncia. Durante este tempo, os resultados do ciclo inteiro podem ser revistos, concentrados e resumidos em sua essência para formarem um fundamento de um ciclo futuro.

1 comentário sobre “A Lua e as Emoções

Deixe uma resposta